Reprodução de calopsita: cuidados, ninho, filhotes e mais.

Reprodução de calopsita: cuidados, ninho, filhotes e mais.

Quer saber como funciona a reprodução de uma calopsita? Ficou curioso? Veja aqui tudo, desde a preparação até o nascimento dos filhotes!


Reprodução de calopsita é uma tarefa difícil?

Calopsita amarela em galho

As calopsitas são criaturinhas amigáveis, amáveis, carinhosas e brincalhonas, não é de se espantar que o cuidador talvez queira ter mais dessa companhia tão agradável. Assim sendo, para aqueles que desejam mergulhar nessa empreitada de incentivar um casal de calopsitas a gerar filhotes, este é um artigo que será muito esclarecedor.

Aqui, abordaremos os aspectos centrais do estímulo para a reprodução saudável de calopsitas, passando desde as condições da gaiola e do ninho, abordando o cuidado com a alimentação do casal, o banho de sol, chegando até o cuidado com os ovos e com os filhotes caso o casal tenha problemas em cuidar deles.

Espero que essa seja uma leitura esclarecedora e orientadora sobre os cuidados para a reprodução saudável de calopsitas. Você perceberá que, tendo tomado todos os cuidados, não é uma tarefa difícil, mas recompensadora.

Preparação da gaiola para reprodução de calopsitas

Calopsita de penas amarelas

As calopsitas são aves muito carismáticas e carinhosas, porém, requerem um conjunto de cuidados e dedicação. Neste tópico, descreveremos os detalhes mais importantes para a preparação de uma gaiola aconchegante e estimulante para florescer o amor entre calopsitas.

Tamanho ideal da gaiola

Calopsitas são aves de médio porte, logo, precisam de gaiolas com mais espaço para não se sentirem apertadas, estressadas e sufocadas, do contrário, podem até desenvolver depressão. Portanto, visando o bem-estar da sua calopsita, é recomendável uma gaiola com as dimensões de 32 cm de altura, 43 cm de comprimento e 22 cm de largura e sendo de malha fina, pois é recomendável para aves de médio porte.

Caixa para construção do ninho

Manter uma caixa de ave em um jardim é muito útil, pois os pássaros se alimentam de insetos que podem praguejar as plantas. Para que suas aves gostem de estar por perto, um ninho acolhedor e bem equipado é essencial.

Vamos aos itens mais importantes da caixa do ninho: pense em pequenos bebedouros e comedouros, abasteça a caixa com alimento em épocas de pouca comida e escolha lugares com trepadeiras. Como as calopsitas tendem a ser um pouco maiores que outras aves, será necessário um furo com cerca de 25 cm de diâmetro. Atendendo a esses quesitos, é provável que seus pássaros nidifiquem na primavera.

Acessórios para a gaiola das calopsitas

Os acessórios deixam uma gaiola muito mais aconchegante e divertida, a recomendação básica é: um bebedouro, um comedouro, uma banheirinha e alguns brinquedos para passar o tempo. Bebedouros e comedouros podem ser de plástico, cerâmica, ou louça, pois são fáceis de higienizar e resistentes.

As banheiras são úteis, pois as aves gostam de um banho refrescante em períodos de calor. Após a calopsita tomar banho, é recomendável higienizar a banheira para não criar um ambiente sujo. Quanto a brinquedos, é interessante ter balanços, redes de bolinha e chocalhos. Isso vai tornar a gaiola em um verdadeiro parquinho.

Cuidando da saúde para reprodução de calopsita

Calopsita em piso de cimento

Aves tendem a ser animais frágeis, portanto, há cuidados que devem estar em mente quanto a sua reprodução. É importante levar em conta as diferentes condições que interferem na saúde da ave e nas chances de vir a se reproduzir. Cuidando desde o nascimento, os filhotes crescerão fortes e saudáveis.

Época para reprodução de calopsitas

Agora vamos entrar no assunto do amor das calopsitas. Um ponto importante é que você adquira sua calopsita quando a ave estiver jovem, pois quanto mais velho o animal, mais arisco e menos familiarizado você estará com suas mudanças de comportamento.

Todas as aves apresentam comportamentos para atrair o parceiro(a) e acasalar. Os machos ficam mais saltitantes, cantam mais e ficam agitados. Já as fêmeas erguem calda e piam baixinho para os machos. Porém, o que mais incentiva o desejo de reproduzir é um ninho na gaiola.

Verificando a saúde das calopsitas

Aves em geral, são sensíveis a doenças, principalmente se o seu ambiente está sujo e exposto, logo, limpeza rotineira e proteção ao sol e ao vento, são ótimas dicas para manter a boa saúde da sua calopsita.

Quanto a sintomas, há alguns para você ter em mente e ficar atento caso se manifestem: ave quieta e abatida, diminuição na vocalização e no canto, dificuldade de respirar, secreção nas narinas, diarreia e perda de peso. Por fim, há outro elemento que pouco é comentado: o estresse. Calopsitas não gostam de barulhos altos e lugares inquietos, pois isso as deixa frustradas e propensas a adoecerem.

Calopsitas precisam de banho de sol

Por incrível que pareça, raios ultra violeta (UV) para as aves são essenciais. Calopsitas não conseguem diferenciar o sexo do colega caso estiverem na presença de luz natural. Elas enxergam claramente raios UV; sem isso, é como viver em um mundo preto e branco.

As aves utilizam raios UV provenientes do sol para o bom funcionamento de seu metabolismo. Eles iniciam a produção de vitamina D3, regulam o ciclo circadiano e o bom funcionamento das glândulas.

A luz artificial de lâmpadas não é o suficiente. Com o tempo, as calopsitas podem ficar estressadas, agitadas e doentes sem que seus donos saibam o porquê. Sendo assim, o banho de sol recomendado da calopsita é brando - porém efetivo - das 8 às 9 horas da manhã.

Boa alimentação é importante para a reprodução

Para todos que têm um animal de estimação, a alimentação é essencial para a saúde do seu companheiro e com as calopsitas não é diferente. A alimentação delas é variada, e o dono pode escolher dentre: legumes, vegetais, frutas, sementes e ração.

Já foi dito que um bom ninho na gaiola de um casal o incentivará a fazer filhotes, porém não queremos deixar de lado a importância de uma boa alimentação para o acasalamento. Portanto, os alimentos acima estando frescos, somados a ração industrial compõem uma alimentação balanceada e ideal para o nascimento de bebês saudáveis.

Sinais do período de reprodução das calopsitas

Casal de calopsitas no poleiro

Você tomou todos os cuidados corretos com o ninho e com a saúde. Agora é a hora das calopsitas iniciarem a dança do acasalamento e consumarem o amor. Vamos conferir os detalhes agora:

Macho preparando o ninho

O macho calopsita muda drasticamente sua maneira de ser quando se aproxima o momento do amor. Ele fica mais agitado, bate com objetos nas grades da gaiola, cantam mais alto (como uma serenata), ficam mais saltitantes e erguem as asas.

Eles fazem isso mesmo sem fêmeas por perto, o que faz com que muitos os confundam com uma fêmea no cio. Os machos ficam mais territorialistas e ajudam na construção do ninho; tudo para demonstrar que são bons partidos para as companheiras em potencial.

Dança de acasalamento

É por volta dos 12 a 18 meses de idade que a calopsita atinge a sua maturação sexual. Ao contrário do que se pode pensar, as calopsitas não necessitam de uma época específica do ano para acasalarem, ou seja, os casais podem se reproduzir o ano inteiro.

Uma vez que o casal está junto, o macho canta com entusiasmo para a fêmea a fim de mostrar seu interesse, move sua crista e abre as asas. A fêmea responde vocalizando mostrando que aceita o macho, ela move o rabo para cima e inclina o corpo para baixo em sinal que está pronta para o acasalamento.

Por fim, o macho se coloca sobre ela, encostando cloaca com cloaca para haver a troca de material genético. O ato pode ser repetido várias vezes por dia.

Mudança no comportamento das calopsitas

Uma das mudanças mais claras é o fato de ficarem mais ariscas e arredias durante a sua fase de acasalamento. Os machos ficam mais territorialistas, abrindo as asas e dando bicadas inesperadas na mão do cuidador que pode não ter percebido a mudança.

Os pais ficam isolados e param de cantar durante o período de incubação da cria, um mecanismo de proteção para não atrair a atenção de predadores para o ninho vulnerável. Macho e fêmea se revezam durante a incubação, o processo todo pode ser muito desgastante, por isso, as calopsitas buscam reproduzir em períodos de maior abundância de alimento.

Etapas para reprodução das calopsitas

Trio de calopsitas no puleiro

Se você seguiu as orientações até aqui, já deve estar observando os resultados: o seu macho e a sua fêmea agora já devem ter passado da lua de mel e colocado os ovos. Agora é a hora entender o comportamento e necessidade dos pais e auxiliá-los no que for necessário.

Geração dos ovos

As calopsitas finalizam a maturação sexual com 12 meses, sendo recomendável que se reproduzam com apenas 18 meses, pois é o momento que atingiram a plena vida adulta. As calopsitas possuem cerca de duas a três ninhadas por ano, pondo de quatro a sete ovos por ninhada. É recomendável separar os filhes com 8 semanas de vida.

As calopsitas podem apresentar mutações em suas cores variando do verde claro, passando pelo amarelo lutino, podendo atingir até o branco albino. Elas dão uma certa pista de quando estão prestes a pôr os ovos, suas fezes passam a ser mais odoríficas e maiores antes do momento de botar os ovos.

Incubação dos ovos

Assim que o primeiro ovo e colocado, a fêmea não fica no ninho e isso é normal, ela apenas inicia o choco após o segundo ou terceiro ovo. O macho colabora com a fêmea no choco dos ovos, geralmente ele choca durante o dia e fêmea de tarde e à noite. Esse processo leva em torno de dezenove dias, podendo durar mais devido as variações de temperatura e a disponibilidade de comida.

Nessa fase, é essencial haver a vasilha com água na gaiola para as calopsitas tomarem banho, pois é recomendável que as penas dos pais estejam úmidas durante o choco para equilibrar a temperatura. É possível que alguns ovos postos não tenham sido fertilizados; sendo assim, o cuidador só deve jogar o ovo fora após um prazo de 30 dias.

Desenvolvimento da calopsita filhote

Uma vez que os ovos foram postos, não tente abrir o ovo de forma alguma e deixe o processo natural seguir. Com os filhotes já nascidos, deixe que os pais façam a alimentação. Você apenas disponibiliza a comida, e caso o casal não esteja dando conta, o cuidador pode dar papinhas, mas é bom buscar a orientação de um veterinário.

Seu cuidado com as calopsitas bebês é verificar diariamente se eles estão bem, se estão se alimentando e se houve alguma morte. Reforce a alimentação dos pais nesse período. Há algumas rações industrializadas próprias para esse momento do cuidado com os filhotes.

Cuidados extras na reprodução de calopsitas

Calopsita filhote

É sempre importante ter todos os cuidados em mente, porém não faz mal entender mais a fundo e tomar medidas mais específicas a fim de não ser pego desprevenido. Aqui seguem algumas recomendações extras para manter a saúde e o bem-estar da sua calopsita.

Não mexa no ninho das calopsitas

As calopsitas originalmente fazem ninho em buracos de troncos de árvores de eucalipto. O ninho de calopsita deve ser em uma caixa própria para elas e use serragem para forrar o local onde a ave vai colocar os ovos. Após o nascimento dos filhotes, não mexa nos ovos e nos filhotes; você notará que elas ficam mais quietas e nesse momento a mãe está cuidando da cria. Apenas observe de longe e apoie a mãe com a oferta de alimento.

Evite cruzar calopsitas parentes

O termo utilizado para parentes que geram um filho é "consanguinidade". A consanguinidade é um fenômeno a ser evitado na natureza, pois ela aumenta a chance de manifestação de problemas e anomalias genéticas, má formações e deformidades que são incompatíveis com a vida, levando a morte.

Leve em consideração os dados aqui já mencionados: calopsitas levam 12 meses para atingir a plena maturação sexual; sendo assim, calopsitas macho e fêmea em uma mesma gaiola vão provavelmente gerar filhotes. Portanto, evite deixar os filhotes muito tempo junto de seus irmãos após a maturação sexual.

Você pode alimentar o filhote depois de um tempo

Cerca de vinte dias após a postura do ovo, o filhote de calopsita rompe a casca e finalmente nasce. Os pais alimentam os filhotes sem grandes problemas, mas é bom estar atento, pois caso algo não esteja certo você deve interferir.

O único alimento que é indicado para a calopsita é a papinha própria para a espécie, pois já vem com as enzimas para a digestão. A orientação é alimentar de seis a oito vezes por dia, diminuindo gradualmente até trinta dias de vida, com quatro refeições por dia. Siga as orientações do fabricante e utilize a colher ou a seringa para não haver erro e não causar dano ao filhote. Em caso de dúvida, consulte um veterinário.

O que fazer quando os pais não cuidam do filhote

É um fenômeno raro, mas pode acontecer de pais abandonarem seus filhotes. Em se tratando de calopsitas, os filhotes são frágeis e podem morrer com facilidade caso isso ocorra. A primeira coisa a se fazer trocar o ninho e colocar em outra gaiola calma, seca e sem corrente de ar.

Pelo fato de o filhote não ter um sistema de aquecimento biológico desenvolvido, o ninho precisará ser aquecido, podendo ser através de uma lâmpada de 60w colocada em baixo do ninho. Utilize a papinha como alimento, forneça água fresca e limpe o ninho rotineiramente. Em sessenta dias, o filhote pode ser desmamado da papinha e ser alimentado como um adulto.

Mais recompensador do que se imagina

Calopsitas brancas e amarelas

Para aqueles que se propõem a embarcar nesta jornada de reproduzir suas calopsitas, seja por motivos pessoais ou de criação comercial, este artigo se propôs a imergir o leitor na situação e oferecer direcionamentos e esclarecimentos.

Como todas as aves, as calopsitas tem suas necessidades e fragilidades específicas, sendo necessário cuidados e atenções especiais, principalmente quanto aos filhotes. Criar filhotes de calopsitas é uma experiência única, principalmente ao ouvi-los piando dentro do ovo ainda, e é recompensador contribuir para esse evento da natureza.

Para cuidadores de animais, os companheiros são como membros da família, sendo difícil observar um animal desde o seu nascimento, colaborar com ele e não se sentir conectado. Este artigo tem a missão não apenas de informar, mas de incentivar aqueles que se veem diante dessa empreitada.

Autor deste artigo

Artigos relacionados


Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Você sabia que a grama para gatos afeta o comportamento do seu felino e traz benefícios? Aprenda sobre a planta, formas de cultivo e muito mais neste artigo!


Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Seu pet está passando pelo cio? Se a reposta for sim, não perca tempo e venha conferir todas as dicas para passar por esse período de oscilações.


Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Já pensou em como pode ser interessante dar petisco natural para cachorro? Aqui você descobre os benefícios dessas guloseimas e algumas receitas para preparar.


Quantos anos vive um gato doméstico? Veja a média e compare!

Quantos anos vive um gato doméstico? Veja a média e compare!

Conheça a expectativa de vida de um gato e quais são os aspectos gerais que podem influenciar essa qualidade.


Como cuidar de periquito: guia completo do filhote ao adulto

Como cuidar de periquito: guia completo do filhote ao adulto

Neste artigo, você verá que os periquitos são aves de fácil adestramento de ótima convivência e que sua presença traz leveza ao ambiente doméstico.


Últimos posts


Pássaro preto (graúna): descrição, como criar e muito mais

Pássaro preto (graúna): descrição, como criar e muito mais

Você conhece o pássaro preto? Neste artigo será possível conferir quais são as principais características da espécie, as subespécies, além de outras informações


Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Você sabia que a grama para gatos afeta o comportamento do seu felino e traz benefícios? Aprenda sobre a planta, formas de cultivo e muito mais neste artigo!


Como fazer brinquedos para gatos: veja 32 ideias caseiras!

Como fazer brinquedos para gatos: veja 32 ideias caseiras!

Você sabia que criar brinquedos para o seu gatinho pode ser muito mais fácil do que imagina? Confira aqui 32 ideias super fáceis para você fazer!


Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Seu pet está passando pelo cio? Se a reposta for sim, não perca tempo e venha conferir todas as dicas para passar por esse período de oscilações.


Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Já pensou em como pode ser interessante dar petisco natural para cachorro? Aqui você descobre os benefícios dessas guloseimas e algumas receitas para preparar.