Personalidade do Pug: temperamento do filhote ao adulto!

Personalidade do Pug: temperamento do filhote ao adulto!

Você tem vontade de ter um Pug? Descubra sobre o temperamento e aspectos negativos e positivos de ter um cão dessa raça.


Você conhece a personalidade do Pug?

Cachorro Pug na grama

O Pug caiu no gosto dos brasileiros! Ganhou espaço entre os cães mais comuns, antes pertencentes aos labradores, poodles e vira-latas. Neste artigo, saberá um pouco mais sobre a personalidade desse cão desde filhote até a fase adulta. Conhecerá sobre seu temperamento e os momentos complicados que podem surgir em sua criação.

Após a leitura, você entenderá o que é preciso fazer para que o cachorro Pug esteja feliz e qual o nível de independência dele. Vamos lá?

Aspectos positivos da personalidade da raça Pug

Cachorro Pug na grama

Os Pug são cachorros dóceis. Por serem pequenos, se comportam como verdadeiros bebês, sempre pedindo colo aos tutores. Veja os aspectos positivos em se ter um cão da raça Pug.

Tranquilo e amável

Ideal para quem gosta de chegar em casa e receber muito carinho, os Pug fazem a festa quando veem seus donos chegarem do trabalho. Seu temperamento amável, faz desses cães também fazem amizades com facilidade. Mesmo que seja um desconhecido passando pela rua, o Pug não vai se acanhar: pedirá colo e cafunés.

A tranquilidade dos Pug também aproxima outros cães, por isso, é totalmente possível criá-los com outras raças. Eles também são compatíveis com outros bichinhos de estimação, como aves. E, no quesito carinho, criam laços de ternura especialmente com as crianças: amam o toque, os afagos e a atenção.

Companheiros

Os Pug são muito dóceis! Eles te recepcionam aos pulos quando chega em casa e ficam - literalmente - no seu pé. Como têm a fidelidade como uma das principais características, os Pug desejam aproveitar 100% a presença de seu cuidador.

É normal os donos desses pets permitirem que eles dividam a cama e até durmam ao seu lado. O fato de serem silenciosos e tranquilos não impede que isso seja frequente. Além disso, os Pug não são cães de guarda, portanto, fazê-los ficar no quintal para vigiar a casa não funciona com essa raça.

Sociáveis

Quem tem um em casa, sabe: dá pra receber visitas à vontade, pois a raça adora fazer novos amigos. Extremamente dócil e sociável, o Pug busca interagir e dar carinho. Desde que o ambiente seja tranquilo para evitar o lado “rabugento” dos Pug, esse pequeno cachorro lida bem com companhias de crianças e adultos. Eles adoram ser pegos no colo, portanto pode apertar e segurar bastante.
.

Brincalhões

Amantes de um ambiente cheio de pessoas, é claro que o Pug amaria uma brincadeira. Além de estreitar laços de cumplicidade com o dono, o Pug sai do sedentarismo e se diverte. Caso disponha de espaço, brinque em locais abertos e frescos, mas tome cuidado com a exposição ao sol.

Vale estimular o raciocínio fazendo-o pegar uma bolinha, morder de um lado de uma corda enquanto você segura o outro lado e esconder brinquedos para que estimule o faro. Também pode deixá-lo na companhia de outros Pug ou outras raças para que brinquem entre si.

Curiosos

A dica acima sobre brincar de esconder algo não foi a toa: os Pug são curiosos demais! Além do mais, para entender como funciona um objeto é preciso usar o faro, a pata, os dentes. Portanto, podem surgir alguns utensílios danificados. É um comportamento comum na fase filhote, pois estão descobrindo o ambiente.

Seguindo os instintos, o cão pode estar procurando comida, brinquedos, rastros de outros animais, objetos pequenos atrás de móveis, como chaves, botões, etc. De fato, é algo típico de qualquer cão. É importante não reprimir esse aspecto natural do Pug.

Aspectos difíceis da personalidade da raça Pug

Cachorro Pug com a língua para fora

Ter um Pug filhote ou adulto pode não ser das tarefas mais fáceis. A raça possui características que podem incomodar os mais desapegados. Veja a lista com os aspectos dos Pug mais difíceis de lidar.

Dependentes

O Pug pode ser uma companhia um tanto carente. Gosta de chamar a atenção para si, estar em contato com o seu dono e dividir cada cômodo da casa com ele. Por isso, são dependentes ao extremo. Se for incômodo ser seguido pelo apartamento, talvez esse não seja o cão ideal para você.

É importante, inclusive, ter cuidado onde pisa: os Pug filhotes são compactos, podendo “sumir” da visão por alguns instantes. Cuidado para não pisar neles ao andar. Devido ao temperamento e pelo fato de amarem a presença dos tutores, podem ficar estressados por serem deixados sozinhos.

Preguiçosos

Conhecidos por serem um dos cães mais preguiçosos do mundo animal, os Pug adoram uma cama, um tapete felpudo ou um sofá. Apesar de serem animados, quando resolvem que é hora de tirar um cochilo, tudo pode ficar para depois.

A tranquilidade do Pug ajuda para que a hibernação seja frequente. O fato de gostarem de curtir preguiça pode agradar os tutores mais ocupados. Por outro lado, a calmaria pode aborrecer as crianças que se desapontam com a breve duração de energia da raça.

Comilões

O fato de serem famintos requer que a alimentação dos Pug seja vigiada. A obesidade é um problema para cães dessa raça. Cada vez mais comum, há rações específicas por raça que podem ajudar a evitar essa doença no cachorro. Algumas não direcionam dessa forma, mas contém menos gorduras e são a base de alimentos naturais.

Os comilões devem ter a quantia de comida medida por um recipiente metrificado ou balança. O quanto servir e quantas vezes ao dia serão indicadas pelo veterinário. Os cães também devem ter o peso controlado. Clínicas e pet shops possuem balanças próprias para animais.

Teimosos

A teimosia é outro ponto em comum entre os pugs. Adeptos da preguiça, eles se fingem de desentendidos quando são chamados a atenção, o que pode irritar os donos menos pacientes. Alguns especialistas afirmam que pode ser falta de entendimento do animal com o comando que está recebendo de seu dono.

Os comportamentos não só devem ser restritos como também devem ser explicados ao cachorro. Isso demanda um bom treinamento, algo que pode chatear o tutor.

Cuidados com alguns traços da personalidade da raça Pug

Cachorro Pug sentado

Os Pug são sensíveis, sejam filhotes ou adultos. É fundamental compreendê-los para ter uma boa convivência. Acompanhe a seguir os cuidados com alguns traços típicos dos cães de raça Pug.

Não deixe o Pug sozinho por muito tempo

Como adoram estar sempre acompanhados, os Pug não devem ficar sós por um longo período. Especialmente quando este cão cresceu muito próximo ao dono tendo, desde filhote, a companhia do tutor por horas. Mas o que fazer quando isso for necessário?

Para um Pug ficar algumas horas sem entristecer-se é indicado que o seu dono se ausente aos poucos, por tempo menores. Deixar um pouco de ração escondido para que ele a procure evita o tédio, mas pode fazê-los danificar móveis e objetos.

Observe para que o Pug não se torne um cachorro ansioso

Os Pug podem ser um pouco ansiosos. Assim que for adotado, crie um roteiro para que ele se adapte ao lar, como afazeres da semana. Horários para as refeições, brincadeiras, passeios e exercícios organizam a rotina para que os Pug não fiquem ociosos. Assim, haverá menos chance de deixar o cãozinho com ansiedade.

Oferecer petiscos, reservar um momento do dia para colocá-lo no colo ou deixar a TV do quarto ligada são algumas ideias para evitar esse mal e passar tranquilidade e segurança ao cachorro.

Estimule o Pug a fazer atividades físicas

Os Pug precisam de exercícios, porém, de forma moderada. Uma atividade física leve, como uma caminhada ao ar livre ou alguns minutos na esteira servem de estímulo a esses animais. Mas não se empolgue: por não ser uma raça atlética, se cansa facilmente.

Devido ao formato do focinho, esse cão precisa de água fresca sempre à disposição. Fazê-lo buscar a bolinha em uma manhã de temperatura amena já o mantém sadio. O incentivo à atividade física protege o cão da obesidade, doença comum da raça devido ao seu corpo compacto.

Controle a quantidade de comida oferecida ao Pug

Preste atenção na quantidade de comida oferecida ao Pug. Esse cuidado se deve ao fato da raça ter um baixo crescimento ao longo da vida, além do excesso de pele e dobras no corpo. Um Pug adulto pode comer até duas vezes ao dia, já os filhotes várias vezes, desde que com porções menores.

A dosagem correta de comida deve ser indicada pelo veterinário. É fundamental a união racional da refeição com a atividade física para evitar a obesidade. Rações com maior concentração de proteínas (premium e super premium) saciam em menos quantidades.

Imponha limites para a bagunça do Pug

O jeito brincalhão e curioso do Pug pode fazê-lo um grande bagunceiro. Para evitar situações embaraçosas, é importante por limite no cão dessa raça. Se não deseja que a sua casa pareça ter recebido um furacão, aprenda a lidar com a bagunça de um Pug.

Para evitar comportamentos do tipo, algumas técnicas podem ser impostas: frases em tom de bronca, sons incômodos (breves) e produtos sprays específicos lançados em sua direção podem dar o recado de que se fez algo errado. Caso nenhum dos corretivos acima funcione, procurar um adestramento profissional pode funcionar.

O pug é um cãozinho apaixonante!

Dois cães Pug

Nesse artigo, você percebeu que ter um Pug é algo peculiar. A raça é dócil e sociável, com algumas especificidades. Foram listados os aspectos positivos e negativos do cachorro, a fim de ajudá-lo na escolha. Caso queira um bichinho companheiro, que goste de pessoas e possa dormir ao seu lado, o Pug foi feito para você!

Eles têm pequeno porte, não garantem vigilância do lar nem têm presença imponente. Porém, são amorosos, parceiros e brincalhões. Com treino, os Pug desenvolvem sua inteligência e podem se adequar rapidamente ao seu dono. É a raça do amor e companheirismo e você vai amar tê-lo como parceiro.

Autor deste artigo

Formada em Letras - Língua Portuguesa e Brasileira e Literatura Portuguesa e Brasileira pela Universidade Federal do Piauí. Produtora de conteúdo, revisora e professora. Criadora da página "Concurseira do Piauí" no Instagram.

Artigos relacionados


Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Você sabia que a grama para gatos afeta o comportamento do seu felino e traz benefícios? Aprenda sobre a planta, formas de cultivo e muito mais neste artigo!


Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Seu pet está passando pelo cio? Se a reposta for sim, não perca tempo e venha conferir todas as dicas para passar por esse período de oscilações.


Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Já pensou em como pode ser interessante dar petisco natural para cachorro? Aqui você descobre os benefícios dessas guloseimas e algumas receitas para preparar.


Cachorro marrom: conheça 21 raças grandes, médias e pequenas!

Cachorro marrom: conheça 21 raças grandes, médias e pequenas!

Quer ter um cachorro marrom? Conheça a seguir várias raças com essa coloração dividida em porte grande, médio e pequeno, assim como suas características!


Quantos anos vive um gato doméstico? Veja a média e compare!

Quantos anos vive um gato doméstico? Veja a média e compare!

Conheça a expectativa de vida de um gato e quais são os aspectos gerais que podem influenciar essa qualidade.


Últimos posts


Pássaro preto (graúna): descrição, como criar e muito mais

Pássaro preto (graúna): descrição, como criar e muito mais

Você conhece o pássaro preto? Neste artigo será possível conferir quais são as principais características da espécie, as subespécies, além de outras informações


Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Grama para gatos: o que é, tipos, benefícios e como plantar

Você sabia que a grama para gatos afeta o comportamento do seu felino e traz benefícios? Aprenda sobre a planta, formas de cultivo e muito mais neste artigo!


Como fazer brinquedos para gatos: veja 32 ideias caseiras!

Como fazer brinquedos para gatos: veja 32 ideias caseiras!

Você sabia que criar brinquedos para o seu gatinho pode ser muito mais fácil do que imagina? Confira aqui 32 ideias super fáceis para você fazer!


Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Cio de cachorro macho e fêmea: sintomas, como acalmar e mais!

Seu pet está passando pelo cio? Se a reposta for sim, não perca tempo e venha conferir todas as dicas para passar por esse período de oscilações.


Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Petisco natural para cachorro: receitas, benefícios e dicas

Já pensou em como pode ser interessante dar petisco natural para cachorro? Aqui você descobre os benefícios dessas guloseimas e algumas receitas para preparar.